A História da Missão Paz em Timor

 

Em sequência das preparações de recepção à delegação de parlamentares portugueses, a 12 de Novembro de 1991 mais de duas mil pessoas reuniram-se numa marcha até ao cemitério de Santa Cruz, em Díli, para prestar homenagem ao jovem Sebastião Gomes, morto em Outubro desse ano por elementos ligados às forças indonésias.

 

No cemitério, militares indonésios abriram fogo sobre os manifestantes do que resultou a morte de 74 pessoas no local e de 127 nos dias seguintes vítimas dos ferimentos e da perseguição que foram alvo.

 

Manifestações de estudantes timorenses no exterior chamam a atenção da comunidade internacional.

 

Em Portugal e no mundo a sociedade civil mobiliza-se e organiza-se, surgindo com o objectivo de sensibilizar a opinião pública internacional para a causa timorense, a Missão Paz em Timor, que a bordo do ferry Lusitânia Expresso, com o intuito de homenagear as vitimas do massacre de 12 de Novembro e chamar a atenção da comunidade internacional, leva 120 estudantes de 23 países até ao Mar de Timor, onde são bloqueados pela marinha de guerra indonésia.